Frequentemente, eu vejo essa questão colocada de alguma forma: você prefere lançamentos ou funil de vendas?

A primeira coisa que eu posso dizer sobre essa pergunta é que ela é legítima, ou seja, faz sentido alguém fazer essa pergunta.

Mas eu acredito que existem alguns detalhes embutidos nessa pergunta que acabam fazendo com que eu veja essa questão por um outro ângulo.

O Porquê

 

A base da dúvida sobre usar lançamentos ou funis de vendas tem a ver com a seguinte ideia: tradicionalmente, um lançamento trabalha com a estratégia de fechar as inscrições após um certo tempo.

Por outro lado, de um modo geral, um funil de vendas está sempre disponível, ou seja, sempre é possível fazer vendas.

O que eu vou colocar aqui nesse post é justamente uma maneira de pensar que vai um pouco além do jeito “tradicional” de usar essas estratégias.

 

Dando Nomes Aos Bois

 

Vamos primeiro dar o “nome certo” aos bois: um lançamento não deixa de ser um funil de vendas.

Calma que eu explico: um funil de vendas é um processo, ou seja, não é uma venda direta.

Quando você compra um quilo de tomate, estamos falando de uma venda direta – numa mão a mercadoria, na outra o dinheiro, fim de papo.

Quando a venda ocorre em um processo, com as etapas bem definidas, onde você primeiro se relaciona com clientes em potencial e depois realiza uma oferta, esse processo é chamado de funil de vendas.

Bem, um lançamento é exatamente assim.

Mas é óbvio, ele tem as suas particularidades, e apenas para facilitar o papo aqui, eu vou falar de lançamento como se ele não fosse um funil de vendas, beleza?

Só para facilitar a nossa conversa.

 

Usando a Pressão a Seu Favor

 

Lançamentos funcionam bem, e isso tem uma razão: a maneira como funciona a mente humana.

Existem vários gatilhos mentais, várias técnicas de vendas que são usadas em um lançamento tradicional.

Mas existe uma técnica em particular que é a base de todo lançamento: a escassez.

Ou seja, compre agora (ou durante o período tal) porque depois de tal data não será mais possível comprar.

Aliado à escassez, normalmente se gera muita expectativa pelo momento em que se abre a possibilidade de vendas.

Uma grande antecipação dando lugar a uma grande escassez normalmente é o esqueleto de um lançamento.

E sim, é uma receita que funciona muito bem.

Mas ela costuma deixar uma preocupação em muita gente, principalmente empreendedores digitais iniciantes: e depois que fechar o carrinho, não entra mais dinheiro na empresa?

Se o lançamento der errado eu vou ficar um tempão sem faturar?

Quando que eu vou poder ver o dinheiro entrando de novo?

 

Faturamento No Piloto Automático

 

Ao contrário de um lançamento, um funil de vendas te permite faturar sempre.

Dependendo da maneira que você construiu, esse faturamento pode ser praticamente no “piloto automático”.

Mas aí vem a “dúvida do outro lado da moeda”: mas será que sem escassez eu consigo gerar a mesma “pressão” de um lançamento?

Vou conseguir gerar um faturamento parecido com o de um lançamento se o meu produto está sempre disponível?

 

Olhando Por Um Outro Ângulo

 

Quem observar atentamente vai notar que essas dúvidas partem de algumas premissas:

  • A premissa de que não é possível utilizar lançamentos e funis de venda ao mesmo tempo
  • A premissa de que não é possível gerar escassez em funis de venda
  • A premissa de que a única maneira de gerar escassez em um lançamento é fechando o carrinho
  • A premissa de que você precisa optar entre usar lançamentos ou funis de vendas.

Se você for olhar bem, é fácil de ver que essas premissas não são 100% verdadeiras.

Você pode utilizar uma estratégia de lançamento para uma oferta, não necessariamente para um produto (você sabe que oferta e produto são coisas distintas, certo?).

Em outras palavras, a escassez de um produto pode estar relacionada a um desconto, por exemplo (ex: 50% de desconto apenas essa semana!).

Eu não sou muito fã de descontos, mas é uma possibilidade.

Outra possibilidade é gerar escassez através de um bônus, ou seja, limitar a entrega de um bônus a um determinado prazo.

E se a escassez que você gera não é baseada na disponibilidade do produto, ou seja, você ainda pode comprar o produto depois do prazo (perdendo apenas o bônus ou o desconto), adivinha o que você consegue?

Exato, você pode usar lançamentos e funis de vendas para o mesmo produto.

Outro “mito” que é importante derrubar é a ideia de que não é possível gerar escassez em funis de venda porque não existe uma data definida para o “fim do prazo”.

O fato é que hoje em dia existem ferramentas de tecnologia que podem gerar um prazo dinâmico, ou seja, um prazo diferente para cada pessoa.

Por exemplo, uma contagem regressiva de 4 dias após alguém assistir um webinário.

Novamente – a escassez é da oferta, não é do produto.

Um último ponto importante: você não precisa ter um produto só: nada impede de você associar um lançamento com escassez em um produto com um funil de vendas (até mesmo sem escassez) em outro produto.

Então respondendo a pergunta que deu origem ao post: entre lançamento e funil de vendas, eu prefiro ficar com os dois. 🙂

PERGUNTA: E você, costuma usar lançamentos ou funis de vendas? Pretende continuar com a mesma estratégia? Tem planos de mudança? Fala para mim aí nos comentários!

 

Share This